CotaBest tem número maior de mulheres entre colaboradores

03/11/2021

4min

Ao longo dos últimos anos o mercado de trabalho vem sofrendo diversas mudanças nas relações trabalhistas, e uma das principais delas é a maior participação de mulheres no mundo corporativo e, principalmente, em cargos de liderança. 

É um avanço importante em relação as questões de gênero, mas muito do caminho ainda precisa ser percorrido. Além disso, mulheres em posições de liderança nas empresas geram bons resultados quando falamos em ESG, sigla utilizada para definir as melhores práticas ambientais, sociais e de governança.  

É o que mostra um estudo realizado por Monique Cardoso, mestre em Gestão para Competitividade pela FGV (Fundação Getúlio Vargas). Segundo a pesquisa, empresas que possuem ao menos uma mulher na alta administração têm resultados melhores nos aspectos ambiental e social isoladamente. Já em governança o resultado é neutro. 

O levantamento analisou a pontuação ESG de 98 empresas brasileiras de capital aberto na Arabesque S-Ray. 

Mulheres na CotaBest 

Na CotaBest, “a análise e perfil e metodologia do processo seletivo levaram naturalmente a empresa a ter um percentual maior de mulheres em cargos de liderança e no quadro de colaboradores em geral”, como afirma a Gerente de Gente e Gestão, Cilia Rodrigues Martins. 

Atualmente a CotaBest tem 51,67% por cento do seu quadro de colaboradores composto por mulheres e 7 dos 13 cargos de liderança são ocupados por elas, o que representa 53,84% do total. 

O CEO da CotaBest, Vanderlei Júnior, reafirma que esses números são um resultado natural. “Sempre contratamos e focamos em pessoas, respeitando a todos de forma igualitária”, aponta ele. 

Mas nem em toda empresa é assim, e existe um desafio cultural principalmente para mulheres que assumem cargos de liderança. Uma pesquisa realizada em 2019 pela Ipsos e intitulada “Atitudes Globais pela Igualdade de Gênero” mostrou que três em cada 10 pessoas se sentem desconfortáveis em ter uma mulher no comando. A resistência é maior entre homens, mas 24% das mulheres pensam da mesma forma.  

Para alcançar o mercado de trabalho as mulheres trilham um caminho maior. De acordo com um levantamento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mulheres se preparam mais para a carreira e superam os homens nos estudos. Os dados mostram que 23,5% das mulheres com mais de 25 anos possuem ensino superior, enquanto a porcentagem de homens com a mesma titulação é de 20,7%. 

Aliado a isso temos estudos que apontam que as mulheres assimilam mais detalhes e com mais rapidez, o que em cargos de liderança leva a resultados mais efetivos. “A mulher muitas vezes é conhecida por ser multitarefas, pensar e agir rapidamente, podendo conduzir diferentes tarefas e orientar diferentes pessoas. Mas, também entendo que os homens são capazes de desenvolver essas habilidades, por tanto, não sendo uma verdade absoluta a minha hipótese é que promovendo um ambiente organizacional com maior diversidade mostramos que somos uma empresa mais humana e igualitária para todos”, afirma Cília. 

Vanderlei Júnior completa dizendo que “é com exemplo que podemos fazer a nossa parte para que um dia não precisemos mais falar do assunto, e que a inclusão e equilíbrio façam parte dos princípios de todos”. 

Deixe uma resposta

0 comentários

Ler depois

Compartilhar